Pelo território Tocantinense

Durante trabalhos no Tocantins, pudemos entender um pouco da história dos primeiros colonos de Gurupi, já situados no Século XX, com seus estabelecimentos registrados por criações de fazendas, lavouras e pequenos povoados. Esse local, encontrou uma profunda relação de permanência regional por consequência da rodovia projetada por Bernardo Sayão. Atualmente, por ocasião de novos loteamentos habitacionais no município, foram realizadas ações associadas as atividades de prospecção arqueológica e educação patrimonial em parceria com a Unitins, buscando a preservação do conhecimento histórico e etno-histórico. Cabe destacar que os primeiros registros de habitantes locais, colocam os índios Xerentes como precursores territoriais. Na arqueologia, a contextualização dos vestígios culturais encontrados no município, trazem registros de peças feitas de pedra (líticos) e cerâmicas, incluindo urnas funerárias, sendo a maior parte dos achados relacionados cientificamente as tradições Itaparica e Aratu. Nesse contexto ambiental de fundamental importância para os povos do passado e no presente, foram realizados caminhamentos extensivos e intensivos em matas, junto as grotas de água, aglomerados de tapiocanga e áreas historicamente utilizadas para produções agropecuárias. A título de curiosidade, hoje uma grande parcela do território nacional, que são ou foram destinadas as criações, apresentam significativas extensões de terra loteadas por ‘braquiária’. Qual pesquisador nunca se deparou com essa gramínea em trabalhos de campo? Segundo a apresentação da EMBRAPA, a história da agropecuária brasileira está relacionada com a integração de sistemas de produção, o qual introduziu na pecuária a Brachiaria decumbens no Centro-Oeste durante a década de 1960, sendo nos anos subsequentes, introduzidas outras espécies como a B. humidicola e a B. brizantha. Muitos produtores acreditam que o grande diferencial dessa gramínea é o de persistir em condições de solos ácidos e com baixa fertilidade. O resultado para a pecuária brasileira foi a intensificação e evolução das pastagens com braquiária, chegando a ocupar 80% das áreas cultivadas no país.